A Consulta Homeopática

 

Individualização do paciente

A consulta homeopática difere em vários aspectos da consulta tradicional, pois ao médico homeopata interessa além dos sintomas comuns a todas as doenças, também os sintomas peculiares de cada doente, ou seja, o que o individualiza. Por isso se diz que a homeopatia trata o doente e não suas doenças.


O que se pergunta

Ao médico homeopata interessam os sintomas mentais de seu paciente, englobando os referentes ao comportamento em família ou socialmente, suas ansiedades, angústias, medos, tristezas e alegrias, sensações diferentes, etc. O médico homeopata perguntará sobre o sono, sonhos, sobre a alimentação do paciente, como ele gosta dos alimentos e dos temperos. Perguntará também como reage às condições e mudanças climáticas, a nível do mar, frio, calor, umidade, etc. Enfim para chegar ao diagnóstico correto do paciente e, conseqüentemente, do medicamento mais indicado, será preciso conhecer as características físicas, gerais e psíquicas desse determinado paciente.


Doença aguda

No caso de uma doença aguda, além do exame clínico comum, o homeopata procura conhecer as características que individualizam a doença desse determinado doente, como por exemplo, aspecto e cor da língua, sede, transpiração, temperatura das extremidades, etc.


Exames laboratoriais

Na complementação da consulta poderão ser necessários exames laboratoriais. No entanto, seus valores servirão mais como parâmetros para fazer o prognóstico da doença e acompanhar a evolução do paciente do que para a indicação do medicamento propriamente dito.


Acompanhamento do paciente

A avaliação é sempre global. O médico homeopata fará este estudo em uma ou mais consultas e tornará a fazê-lo a cada retorno deste paciente. Para acompanhar a evolução do paciente, interessam ao médico homeopata os sintomas novos, o reaparecimento de sintomas antigos e a modificação dos sintomas atuais. Só através destes dados que o médico poderá determinar se deverá manter ou se será necessário alterar o medicamento ou sua potência.

Todas as perguntas que o homeopata fizer tem uma razão de ser, mesmo que pareçam absurdas. Elas são absolutamente necessárias, ainda que pareçam não ter relação alguma com a enfermidade. É fundamental que o paciente seja absolutamente sincero com seu médico, desta forma o paciente estará se ajudando e ajudando o médico homeopata a curá-lo.


O que observar em si mesmo

A auto-observação é fundamental num tratamento homeopático. Citamos a seguir alguns itens que o paciente deverá observar em si mesmo e, se possível, anotá-los para que não se esqueça de referí-los durante a consulta:


  • AMBIENTAIS E CLIMÁTICAS
  • Ar livre
  • Estaçoes do ano
  • Fases da Lua
  • Sol
  • Temperatura
  • Tempo
  • Umidade
  • Vento
  • ATIVIDADES
  • Banho
  • Escrita
  • Esforço físico ou mental
  • Leitura
  • Trabalho
  • FATORES PSÍQUICOS OU EMOCIONAIS
 
    • FISIOLÓGICAS
  • Dietéticas – bebidas e alimentícios
  • Agravação
  • Aversão
  • Desejo
  • Gestação
  • Menstruação
  • Ritmo intestinal
  • Sexualidade
  • Sono
  • Urina
  • HÁBITOS E COSTUMES
 

 

    • LATERALIDADE

(direita ou esquerda)

    • MOVIMENTO OU REPOUSO
 
    • POSIÇÃO
  • Ajoelhado
  • Deitado
  • Dormindo
  • Em pé
  • Inclinando-se
  • Mudança de
  • Sentado
  • Sobre algum lado ou parte do corpo


 O que observar na criança

Como no tratamento homeopático temos que conhecer a pessoa, muito se fala da dificuldade de se obter uma história completa de uma criança. Quanto mais nova a criança é maiores são as dificuldades para se obter os dados necessários à individualização do pequeno paciente.


Humor

Quieto ou loquaz, tranquilo ou agitado, calmo ou irritado, chorão, medos, sensibilidade aos ruídos e à luminosidade, distraído ou alerta, etc.

Temperamento

Carência, ciúme, agressividade, provocação, egoísmo, etc.

Situações de melhora ou piora

Colo, movimento, repouso, comendo, agradando e acariciando, repreensão, contrariedade, posição, etc.

Tipo de reação às diferentes situações e ambientes

 

Horário do dia em que está melhor ou pior

 

Alimentação (desejos e aversões)

Leite, ovo, amamentação, alimentos sólidos, etc.

Sintomas febris

Frio, calafrio, temperatura externa, transpiração, horário, causalidade, rubor da pele, temperatura das extremidades, sede, etc.

Sono

Sobressaltado, agitado, olho ou boca aberta, pesadelos, transpiração, fala, chora, etc.

Sede

Ausente, excessiva, pouca, de pequenos goles, etc.

Transpiração

Lugar do corpo, quantidade e horário ou momento

Reação ao clima, estação e à temperatura

 

Reações vacinais

Doenças subsequentes

Antecedentes pessoais

Doenças e situações marcantes


Ver também: Perguntas e Respostas sobre a Homeopatia