Dia de Combate

wmX-500x375x4-4ed673dbdafee6e2d8077cf1b4877dec64593de16c5bd

Falta de informação e o preconceito ainda são as principais barreiras para vencermos a AIDS

Combater o preconceito, informar e barrar a epidemia mundial. Esses foram alguns dos motivos que levaram à instituição de 1º de dezembro como o “Dia Mundial de Luta Contra a AIDS”. A doença é provocada pelo HIV, vírus que contamina o organismo deixando-o suscetível a infecções e outras doenças – assim, em casos avançados da doença, uma simples gripe pode matar.

A AIDS ainda não em cura, mas os portadores do vírus podem utilizar os tratamentos anti-retrovirais para prolongar a sobrevida e melhorar a qualidade do dia a dia. Esses medicamentos – que formam um verdadeiro coquetel – reduzem a carga viral no organismo e reconstituem o sistema imunológico. O Brasil dispõe de atendimento público para os portadores do vírus (e da doença), além de oferecer gratuitamente o coquetel.

Com a debilidade do corpo, a homeopatia não consegue agir de maneira mais adequada. Entretanto, é uma boa alternativa para melhorar a qualidade de vida em estágios avançados da doença.

1_dezembro_dia_mundial_luta_contra_aids_5

Fique sabendo

Os jovens estão entre as populações mais vulneráveis – juntamente com os Gays, travestis e presidiários, de acordo com o Ministério da Saúde. Por isso, as campanhas governamentais, que têm como mote “Fique Sabendo”, são direcionadas especialmente para eles.

Para afastar qualquer dúvida ou usufruir dos benefícios de qualquer tratamento (e evitar a contaminação de outras pessoas!) é preciso saber. Sim, o exame é indicado para todas as pessoas que tenham se envolvido em alguma situação de risco – sexo sem preservativo, transfusão de sangue, uso de objetos cortantes de proveniência incerta. Qualquer pessoa pode fazer o teste de AIDS em um dos “Centro de Testagem e Aconselhamento” (CTA) ou nas unidades de saúde pública espalhadas em todo o país – você pode localizar o ponto de atendimento mais próximo utilizando o Dique Saúde: 136. O exame é gratuito e anônimo e o resultado sai, em média, em 6 dias úteis.

Preconceito

Além de criar uma barreira contra o contágio, a campanha do Dia Mundial de Combate à AIDS visa combater o preconceito sofrido pelos portadores do vírus. Mais uma vez, a desinformação é o inimigo a ser batido. Muitas pessoas acreditam que a AIDS pode ser transmitida pelo ar, o que é um engano. O HIV é transmitido pelo contato sexual; pelo compartilhamento de seringas; transfusão de sangue; de mãe para filho – na gravidez, no parto ou durante a amamentação; ou pelo uso de instrumentos de corte não esterilizados.

Vale lembrar que beijo, suor, lágrimas, aperto de mão e até masturbação a dois não transmitem o vírus. Da mesma forma, compartilhar o assento do ônibus, a piscina, o banheiro, sabonetes e até talheres e copos também é seguro.

aids_primeirodedezembro

Pior entre os jovens

Apesar de conhecida há mais de 30 anos, a AIDS ainda conta com a desinformação para se propagar: o número de infectados pelo HIV cresceu 11% no Brasil entre os anos de 2005 e 2013. Um em cada três novos casos é em jovens de 15 a 24 anos. Esses números são alarmantes e demonstram o desinteresse e desinformação da população mais jovem em relação à AIDS. A doença, detectada nos anos 1980, causou rebuliço até o final da década de 90. Desde então, a disponibilidade dos retro-virais diminuiu drasticamente o número de mortes causadas pelo vírus, o que fez algumas pessoas perderem o medo de se contaminarem.

Sim, é possível ter uma vida “normal” mesmo sendo portador do Vírus HIV. Mas essa normalidade é baseada na ingestão diária de diversos medicamentos. A doença também deixa o organismo muito vulnerável. A melhor medida é evitar o contágio. E o melhor meio de fazê-lo ainda é com o uso de preservativos.

Além de ser o método mais eficaz na prevenção da AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis, o uso da camisinha também previne que as pessoas já infectadas da “reinfecção”. Ou seja: evita que a pessoa se exponha novamente ao vírus causador da AIDS, o que poderia agravar ainda mais a saúde da pessoa.

O uso do preservativo é muito simples, e as unidades básicas de saúde distribuem gratuitamente: ao fazer o cadastro, o usuário pode retirar 20 camisinhas por mês.

Por tudo isso, previna-se! A prevenção é, sempre, o melhor remédio.

Gostou desse post? Então assine a nossa newsletter e fique sempre atualizado

2014-11-28T17:21:32-02:00 28/11/2014|BEM-ESTAR, SAÚDE|1 Comentário

Um Comentário

  1. ARLINDO CORSO VERZA 12/21/2014 em 16:28 - Responder

    Há três fatores importantes a ser seguidos.
    1- É melhor prevenir que remediar .Por isso importante a prevenção .

    2-Não tomar este coquetel dá alopatia.

    3-Procurar tratamento alternativo.

    Se tiver dúvida é só pesquisar no GOOGLE. E terá a verdade.

    Arlindo.

Deixar Um Comentário