Obesidade Infantil

A OMS – Organização Mundial de Saúde, apronta a obesidade como um dos problemas mais graves do século XXI, principalmente nos países em desenvolvimento como o Brasil. No último levantamento feito em 2010 pela OMS havia 42 milhões de crianças com sobrepeso em todo mundo. A projeção é que em 2025 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso, sendo 700 milhões obesos. Essa projeção para as crianças também é alarmante, chegando a 75 milhões com sobrepeso ou obesidade em todo mundo. O Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, conversou com a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, pediatra e homeopata da Clínica Similia para pegar dicas valiosas para os pais. Leia, informe-se e compartilhe.

A OMS aponta a obesidade como um dos problemas de saúde mais graves. No Brasil, esse problema vem crescendo cada vez mais. Entre as crianças cerca de 15% apresenta algum tipo de sobrepeso ou obesidade. Uma das causas desse aumento é a cultura popular de que “criança gordinha é sinônimo de criança saudável”, herança de um tempo em que a desnutrição era o maior problema de saúde infantil. Não à toa, uma das maiores preocupações das mães e pais que chegam ao consultório é se o filho come o suficiente. Para Dra. Ana Lucia, o apetite da criança e suas escolhas alimentares são baseadas nos hábitos familiares. “Não adianta pedir que a criança coma verduras, se os pais não o fazem, da mesma forma seria proibir o refrigerante, se todos os adultos o consomem, desta forma a memória alimentar de uma criança é construída desde as primeiras comidinhas e mantida pelos hábitos familiares. Sendo assim, quando se inicia a alimentação, por volta dos 6 meses de vida, é importante respeitar a criança, no que refere principalmente a quantidade e os pais devem se lembrar sempre “ A vontade de comer deve vir de dentro da criança”, não deve ser imposta, come quanto quer, sem forçar. O contrário deste hábito, pode gerar na criança desde os primeiros pratos de comida uma espécie de ansiedade por comer”, recomenda Dra. Ana Lucia Dias Paulo, pediatra e homeopata da Clínica Similia.

obesidade_infantil-3

Dra. Ana Lucia nos alerta que a oferta de comida para um bebê, desde a amamentação, deve ser em ambiente tranquilo, e sem pressa. “Se ele está crescido e quer comer em excesso, os pais, com muito carinho devem orientar que a quantidade colocada no prato já está suficiente, que o pequeno coma bem devagar, pois desta forma a saciedade virá, comendo devagar. A partir do primeiro ano de vida, é importante que a criança sente à mesa com os adultos na hora das refeições, para que sinta que a hora de comer, é um momento de confraternização dos familiares, na medida do possível, um momento de paz e tranquilidade, criado e monitorado pelos adultos. E a criança deve se alimentar sentada numa cadeira segura, pode comer com as mãos nos primeiros anos e também mastigar com a boca aberta, estes hábitos sociais, podem ser corrigidos no decorrer dos anos seguintesresume a médica.

Como incentivar hábitos alimentares saudáveis e exercícios físicos para a criançada?

Os pais são o espelho que as crianças vão seguir. Então ao prestarem atenção na sua própria alimentação, estarão dando bons exemplos para os filhos. Dra. Ana dá algumas dicas de como incentivar a prática de refeições saudáveis e exercícios com as crianças. “A família pode procurar, fazer refeições divertidas, como pic-nic em parques, com estimulo a brincadeiras prévias como correr, rolar no gramado antes mesmo da alimentação. E tirar pelo menos 1-2 dias da semana para convívio em família e fora de casa ou do apartamento”, indica Dra. Ana Lucia.

Alimentação saudável

Dra. Ana encerra com uma mensagem:

Uma alimentação saudável é constituída por cereais, carnes, verduras e frutas. Na verdade, deve ser passado para as crianças como algo corriqueiro, para crescer bem e com saúde e não como algo obrigatório a ser seguido como padrão social. Em verdade, o ser humano pode comer de tudo inclusive os doces, as frituras e refrigerantes. No entanto estes alimentos devem ser sempre com moderação, principalmente pelos adultos da família, para que sirvam de exemplo aos pequenos. Fica a mensagem, podemos comer de tudo, mas tudo com moderação.

Um abraço


Dra. Ana Lúcia Dias Paulo se graduou em Medicina em 1983 na Universidade São Francisco – CRM 47937. Atua profissionalmente na área de clínica médica e pediátrica desde 1984. É Especialista em Homeopatia pela Associação Médica Homeopática Brasileira em convênio com AMB e CFM, realizou o curso de Especialização em Acupuntura pelo Center AO, em convênio com a UNIFESP. Além disso, é membro do Corpo Docente da Alpha-APH em convênio com a Associação Paulista de Homeopatia (APH), professora convidada de diversas associações e instituições de ensino da Homeopatia, bem como, conferencista em inúmeros eventos relacionados (congressos, cursos etc.) e autora dos livros Os Miúdos. Pequenos Medicamentos em Pediatria Homeopática e O que você precisa saber sobre o Medicamento Homeopático, ambos da Editora Organon.

2016-11-21T08:00:36-02:00 21/11/2016|BEM-ESTAR, CRIANÇAS, SAÚDE|0 Comentários

Deixar Um Comentário