Páscoa: Santa fartura!

ovo de páscoaEis que se aproxima um dos períodos mais gostosos do ano: a Páscoa. Isso porque é um momento onde, culturalmente, o cardápio fica repleto de delícias como peixes, pães, vinhos e o irresistível chocolate. As tentações gastronômicas são muitas, mas bom senso é a palavra de ordem. E o Blog Similia Homeopatia e Saúde vai explicar o por quê.

 

O mês de abril traz consigo datas comemorativas genuinamente cristãs, por conta (não sei se o termo adequado é “por conta da”) da Semana Santa. Entretanto, o foco fica mesmo no cardápio. Isso porque a tradição e religiosidade perpassam de geração em geração. E nada melhor que seguir os costumes, mas sem descuidar da saúde.

Dentre os alimentos mais servidos está o peixe. Seja aquele bacalhau ou mesmo outras espécies como o dourado e o robalo, é importante ter cautela na escolha do pescado, na melhor forma de preparo e com os acompanhamentos. Afinal a carne do peixe é mais magra – quando comparada à carne bovina, por exemplo – disso não se pode duvidar! Porém, alguns peixes detêm mais gordura se comparado a outros. A sardinha, o arenque, o salmão, a truta, a cavala, o atum, as enguias e as anchovas são exemplos de peixes gordos. Vale ressaltar que, apesar dessa gordura, todos eles são ricos em vitaminas A, D, E e K.


Alimentos-da-pascoa-nutricao-ParamedicoOs magrinhos ficam por conta do bacalhau, linguado, badejo, corvina, peixe-espada, pescada, dourado, truta, robalo, salmonete, tainha, entre outros. Normalmente, são mais leves graças ao acumulo de água, o que diminui o teor de gordura.

As maravilhas do mar de fato são nutritivas e de fácil digestão. Segundo especialistas da American Heart Association – AHA (Associação Americana do Coração), devemos comer duas porções de peixe por semana. Ricos em ômega 3, essa que é uma espécie de gordura boa capaz de promover muitos benefícios ao organismo, inclusive, contribuir para o emagrecimento.

pescados

Nada melhor que comer essas delícias, acompanhado de salada de folhas de alface, rúcula, repolho e tomates cerejas com molho de maracujá, dando aquele toque agridoce ao prato. Outra sugestão é a adição de verduras e legumes como batata, cenoura, chuchu e brócolis cozidos ao molho parmesão. Ou mesmo o arroz branco, soltinho, com legumes e queijo branco. Combinações não faltam!

E para a sobremesa? O temido das dietas: o chocolate. Comer ou não comer, eis a questão? Se o indivíduo tem alguma doença que proíba, por exemplo o diabetes, o ideal é que suspenda ou, ao menos, opte pelos tipos light diabéticos têm que comer os chocolates DIET, que não têm açúcar. Os lights, tem açúcar, mas menor quantidade de calorias. Em pouca quantidade, até nas mais rígidas dietas, o doce pode entrar no cardápio.

bigPhoto_0

O cacau, matéria prima do chocolate, pode ser um aliado à saúde do organismo. Quanto menos “ao leite” e mais “cacau” melhor, pois os tipos ao leite e branco possuem níveis altíssimos de gordura.

 

Por tudo isso, coma com moderação e se delicie com as receitas típicas que só a Páscoa para nos proporcionar.

2015-03-31T18:46:05-03:00 31/03/2015|BEM-ESTAR, DICAS, SAÚDE|0 Comentários

Deixar Um Comentário