Qual a importância da doença?

É muito importante, não para medicar o paciente, e sim para avaliarmos o prognóstico. Para o homeopata, cada ser humano faz a sua doença particular, com sintomas específicos, e ficar doente é um ato muito especial. Assim, uma pneumonia, além de representar uma inflamação dos pulmões, é consequência da forma de viver e sofrer de cada um, e é isto que dá o tom individual do ser humano entre todos na humanidade. Tal qual a nossa impressão digital, a forma de adoecer também é única. Cabe então ao homeopata, através de técnicas bem estabelecidas, chegar ao diagnóstico do doente, e não da doença. Isso explica a demora na consulta e o atraso no consultório? Diria que sem dúvida, porque cada ser humano tem o seu timing, ou seja, por vezes chegamos a um diagnóstico rapidamente e noutras, apesar de aplicarmos corretamente todas as técnicas, levamos muito mais tempo que o esperado.