Ser Mulher – Sexualidade e sua saúde!

Blog Homeopatia e saúde, por meio da série “Ser Mulher” traz esse mês um tema indispensável para a saúde, não apenas da mulher, mas de todos os adultos: Sexo: Vamos desvendar o mito e entender qual sua importância para se ter uma vida plena, feliz e saudável.  

images (1)Na maioria dos animais, incluindo nessa lista o bicho homem, o sexo tem uma função biológica, ou seja, é necessário para procriação, para a preservação da espécie. Mas, também, na maioria das espécies, o desejo sexual está ligado de perto à fertilidade. Por isso a cadela só cruza no cio e, por isso também, que quando a mulher ovula, seu desejo sexual aumenta. É biológico.

Além da função biológica, o sexo tem na vida do bicho homem uma função social. É o “motivo” para nossa entrada na fase adulta. Pois, diferente da criança que recebe carinho, proteção, cuidado, precisa ser cuidada, o adulto fundamentalmente cuida de si, e dos outros. Por isso sair de perto dos pais é como um rito de passagem para a fase adulta, o momento que o indivíduo passa a cuidar de si mesmo. Nesse contexto o sexo é o motivo, o motor que leva esse indivíduo a ter momento de passagem para a vida adulta.

Segundo o Dr. Adailton Salvatore Meira, médico, ginecologista, obstetra, sexólogo e especialista em constelação familiar (nosso próximo tema da série Ser Mulher, em outubro), o sexo é estímulo que faz o filho sair de perto do pai e da mãe. E o que faz tanto o homem quanto a mulher buscar ter independência.

“Tradicionalmente o filho não transa na casa do pai e da mãe, ele vai ter que sair de lá, vai ter que ter a vida dele. Sexo é o estimulo que leva o homem e a mulher a crescer, a caminhar para a vida adulta. E a função para afasta-se dos pais. O que te faz comer é a fome. O sexo é o que faz você crescer, sair dos cuidados infantis e viver uma vida adulta”, explica Dr. Salvatore.

Saúde física e saúde emocional

artigo-praticas-sustentaveis-sexualidade-e-prevencao

A saúde física vem do que conhecemos, da alimentação, exercícios, corpo, etc.. Já a saúde emocional está ligada ao que sentimos. Nesse contexto é fundamental uma relação afetiva saudável e nessa relação saudável o sexo faz parte da equação.

“Uma relação afetiva saudável é quando não há dependência um do outro. Eu sou responsável pela minha saúde, pela minha felicidade e você é responsável pela sua saúde, pela sua felicidade. A relação sexual é o motor para que você busque uma vida afetiva saudável. A relação sexual cria um enlace, para que busquemos uma relação afetiva saudável. O sexo é a ligação para esse equilíbrio no relacionamento”, contextualiza o especialista.

Autoestima

autoestima1Essa passagem para a vida adulta, acarreta para todos uma mudança de comportamento. Quanto nos vemos como adultos, quebramos o papel que nos foi dado quando crianças, de ser cuidado pelos outros e passamos a viver para nós, a nós cuidar. Nesse momento assumimos quem somos, nossas responsabilidades e passamos a ter confiança em nós.

Por isso a autoestima está diretamente ligada à sexualidade. Se nesse momento, de busca de um parceiro, falta confiança em si, o relacionamento passa a “o motivo da felicidade”. E como o doutor Adailton disse lá atrás, num relacionamento saudável cada um é responsável por sua saúde, por sua felicidade.

A pessoa tem baixa autoestima quando não vive sua vida, fica preocupada com o que os outros pensam, ou seja, está no papel infantil, que foi dado para ela quando ela ainda era criança e ela ainda não conseguiu seguir em frente.

“Quando a mulher não consegue se assumir no que ela é, ela não consegue viver uma boa sexualidade. Por exemplo são aquelas pessoas que tem vergonha da nudez, de se mostrar par o outro, ou ficam presas a conceitos religiosos, impostos quando são crianças. ”

O fundamental para as pessoas, e nesse caso em especifico para a saúde da mulher, é a tomada de consciência. Ou seja, trazer para você a responsabilidade daquilo que antes estava no seu inconsciente. As informações salvas no inconsciente levam a atitudes e decisões automáticas. A tomada de consciência de cada uma é individual. Cada um acha seu caminho.

“Algumas fazem terapia, outras fazem meditação, outras yoga, outras dança, sendo que a constelação familiar sistêmica é uma dessas formas. Num primeiro momento essa tomada de consciência é dolorida. Abrir a janela do inconsciente e olhar é dolorido, mas depois passa a ser bom, porque é liberdade. Vem a saúde plena com suas escolhas”, completa Dr. Adailton.

Equilíbrio no relacionamento

Sexo é uma força de conexão, é o que leva para buscar o outro. Mas quando a canseira, o stress deixa um do casal esgotado, essa força fica comprometida, e consequentemente o desejo sexual diminui. Mas quando a pessoa está feliz, satisfeita com o trabalho que exerce, com os resultados, equilibrada, é natural que o desejo sexual aconteça no relacionamento.

“O problema é quando há uma diferença do desejo no casal, quando um tem a mais que o outro. Nesse caso um acaba sublimando esse desejo, em função de manter esse relacionamento que passa a ser o alvo mais importante”, comenta Dr. Adailton.

2015-09-08T22:53:42-03:00 08/09/2015|BEM-ESTAR, SAÚDE|1 Comentário

Um Comentário

Deixar Um Comentário