A importância do sono para as crianças

A população moderna ocidental vive em constante correria, tudo pede pressa e isso reflete até mesmo na relação dos pais com os filhos. Especialmente no sono. A pressa para que a criança durma sozinha, a ansiedade para que durma bastante. Mas qual é o tempo de sono ideal? Como garantir um bom período de sono para a criança? Qual a sua importância?

A Dra. Ana Lúcia Dias Paulo, Pediatra e Homeopata da Clínica Similia, concedeu uma entrevista ao blog Homeopatia e Saúde para tirar as dúvidas dos pais em relação ao sono dos filhos. Confira!

 

Dormir muito e acordar pouco? Ou o contrário?

A reclamação é geral entre pais e mães, especialmente de primeira viagem: ou o bebê dorme pouco e acorda muito e ninguém consegue dormir; ou dorme muito e acorda pouco e a mãe não sabe se deve acordá-lo para mamar ou não.

Segundo a Dra. Ana Lúcia, as horas de sono podem variar de acordo com a idade da criança, havendo uma maior necessidade quanto mais nova for. “Bebês de até 6 meses dormem, em média, 18h por dia e noite – que podem não ser seguidas. Conforme vão crescendo, a necessidade de horas de sono pode ir diminuindo”, afirma.

O período noturno pode ser o pesadelo de muitos pais, que se sentem soterrados com o sono aparentemente “inquieto” do bebê. Contudo, a pediatra reitera que bebês que dormem muitas horas seguidas não são regra e sim exceção. “Bebês têm dificuldade em continuar o sono e podem ter leves acordadas a cada 2 horas, mas não havendo nada para agitar o cérebro infantil (luz, brincadeira e som), eles voltam ao sono em seguida” afirma Dra. Ana Lúcia Dias.

Quanto aos bebês que são mais dorminhocos, a doutora conta que não é preciso acordá-lo para mamar. Mas que pode ser colocado para mamar caso esteja num sono muito inquieto ou agitado, pois bebês mamam mesmo quando estão dormindo.crianca-doirmindo-620x470

A pediatra também reforça a importância do sono durante o dia. Diz que a soneca é importante para todas as idades na infância, algumas até duas vezes ao dia. Recomenda um sono mais curto de até 40 minutos durante o dia e outro mais longo, de até 90 minutos, durante a tarde. E para antecipar qualquer preocupação, ela avisa: “Esse sono não atrapalha em nada o sono da noite, mas deve ser no máximo até às 17h. Caso contrário a criança não vai ceder antes das 23h”.

 

Como estabelecer uma rotina de sono?

A rotina é muito importante para a criança, principalmente porque antecipa o que irá acontecer a seguir e, assim, ela se prepara para tal. No sono, isso é especialmnte verdade e pode facilitar a vida dos pais.

Dra. Ana Lúcia recomenda que a rotina deve ser estabelecida desde os primeiros meses e indica: “a casa toda deve ir se tranquilizando a partir das 19h (evitar som alto, televisão ligada, brincadeiras excitantes), para que às 20h a criança ou bebê já esteja dormindo”.

A pediatra e homeopata ainda frisa que o sono é fundamental na vida da criança. Não só porque é no sono que agem os hormônios do crescimento, mas principalmente porque pode determinar o seu sono no futuro.

“O bom sono na infância pode determinar o bom sono do adolescente e do adulto, portanto vamos construí-lo de vagar, com paciência e muito amor.”, diz ela.

 


Dra. Ana Lúcia Dias Paulo se graduou em Medicina em 1983 na Universidade São Francisco – CRM 47937. Atua profissionalmente na área de clínica médica e pediátrica desde 1984. É Especialista em Homeopatia pela Associação Médica Homeopática Brasileira em convênio com AMB e CFM, realizou o curso de Especialização em Acupuntura pelo Center AO, em convênio com a UNIFESP. Além disso, é membro do Corpo Docente da Alpha-APH em convênio com a Associação Paulista de Homeopatia (APH), professora convidada de diversas associações e instituições de ensino da Homeopatia, bem como, conferencista em inúmeros eventos relacionados (congressos, cursos etc.) e autora dos livros Os Miúdos. Pequenos Medicamentos em Pediatria Homeopática e O que você precisa saber sobre o Medicamento Homeopático, ambos da Editora Organon.


Tags: sono da criança, homeopatia e saúde, sono infantil

2016-12-19T08:00:26-02:00 19/12/2016|BEM-ESTAR, CRIANÇAS, SAÚDE|0 Comentários

Deixar Um Comentário